Home » Peru » Machu Picchu » [Roteiro] Machu Picchu para quem quer economizar

[Roteiro] Machu Picchu para quem quer economizar

Hoje vamos falar sobre o nosso roteiro pela Bolívia e Peru, até chegar a Machu Picchu. Como? De carro, trem, ônibus, barco, avião,van… só faltou llama. =) Tudo em nome da economia!

Decidimos seguir até Machu Picchu, conhecendo um pouquinho dessa nossa América do Sul da maneira mais barata, por terra.

Nosso ponto de partida foi Corumbá-MS, que faz fronteira com Puerto Quijaro – Bolívia.

Quem faz essa rota,normalmente vai até Campo Grande – MS e de lá pega um ônibus para Corumbá, que está a mais ou menos 430km. Corumbá já faz parte do Pantanal Sul-Mato-Grossense e fica à beira do Rio Paraguai, é bom aproveitar e conhecer um pouco da região.

Mas voltando ao roteiro, lá fomos nós: eu, Leonardo e o Fábio:

1 – Corumbá/Puerto Quijaro -> Santa Cruz de la Sierra (Trem)

Apresentando...o Trem da Morte
Apresentando…o Trem da Morte

Nossa escolha por  esse trecho foi o famoso Trem da Morte. Mas pode ficar tranquilo, de assustador o trem não tem nada.

O trem só sai aos domingos, terças e quintas e para garantir que não perderíamos o trem, chegamos à Corumbá na quarta(um dia antes). Aproveitamos para ir até a estação de trem (no lado boliviano) e também passamos pela aduana para pegar o nosso ‘permiso’ e carimbar o passaporte.

**Atenção: não perca o papel do permiso, pois se o papel não for apresentado na saída do país, é preciso pagar uma multa. E sim, acontece de ter que pagar, fomos testemunhas de um caso.**

Para fazer esse translado de Corumbá-Puerto Quijaro a maneira mais simples é pegando um táxi.  Nós fizemos de carro porque os pais do Leonardo nos levaram (ajudou bastante). Não é longe, é bem comum lá e não é caro.

O ticket do trem custa mais ou menos 70BOL (R$25,00) e eles até aceitam real sim, mas aconselho a já ter um pouco de Bolivianos (moeda local) porque saindo de lá o Real acaba.

Tempo de viagem 18h. O trem parte mais ou menos às 14h e chega bem cedinho em Santa Cruz. Nós compramos o ticket na classe superpullman que parece ser a mais tranquila.

Soubemos depois que também tem uma linha de ônibus que faz esse trecho e é mais confortável que o trem, vale a pena dar uma olhada.

2 – Santa Cruz de la Sierra -> La Paz (ônibus)

La Paz
La Paz

A estação de trem de Santa Cruz é junto com o terminal rodoviário, facilitou muito. Como decidimos não conhecer Santa Cruz, acabamos passando apenas algumas horas na rodoviária mesmo esperando o ônibus para La Paz.

O ônibus leito deles é muito bom. Compramos da Trans Copacabana e pagamos 150BOL, partimos às 14h  e dessa vez foram 20h de viagem. Um chá de busão! Mas tudo bem..estamos aí pra isso. Mesmo sendo longa, a viagem foi ótima. As estradas são muito boas e a paisagem ao amanhecer é lindo!

Procurando lugara para ficar em La Paz?

3 – La Paz -> Copacabana / Isla del Sol (Van e barco)

Atravessando o Titicaca rumo a Copacabana
Atravessando o Titicaca rumo a Copacabana

Chegamos à La Paz umas 8h da manhã.  Na saída do terminal rodoviário tem vários táxis disponíveis. Como nós ficamos dois dias em La Paz, pegamos um táxi para o nosso hostel (ficamos no Loki Hostel – é bom e bem localizado), que custou 15 BOL.

Depois das nossas andanças por La Paz partimos para Copacabana. Pegamos uma das vans que saem do cemitério, sai van o tempo todo e custa só 25BOL. A viagem leva mais ou menos 4h e é uma vista sensacional. Foi nesse caminho que pegamos nosso primeiro barquinho. Depois de andar boa parte do trajeto é preciso cruzar o nada mais nada menos Titicaca de barco. A van vai na balsa e a gente vai no barco. Esse barco custa uns 2BOL e é relativamente rápido.

Chegando em Copacabana partimos direto para a Isla del Sol. Nosso segundo barco do dia! Pagamos 30Bol em um barco coletivo (mas foi vazio por que já era quase 4h da tarde) e levamos mais ou menos 1:40h para chegar ao lado sul da ilha.

4 – Isla del Sol/Copacabana ->  Cusco (Barco e Ônibus)

A caminho da Isla del Sol
A caminho da Isla del Sol

No outro dia pegamos o barco de volta para Copacabana. A volta custou 25Bol e o tempo é o mesmo.

Por um erro de calculo, acabamos precisando sair nesse mesmo dia para Cusco, pois precisávamos estar no outro dia lá para resolver os ultimos detalhes antes da trilha para Machu Picchu. Muita gente não sabe, mas existe sim ônibus direto de Copacabana à Cusco. Várias agencias ali na rua principal fazem esse trecho e os ônibus também são bons. Nós pagamos 80Bol, partimos às 18h e chegamos em Cusco às 5h da manhã.

Está procurando hospedagem em Cusco? Veja aqui!

5 – Cusco / Machu Picchu (a pé)

Inicio de trilha para Machu Picchu
Inicio de trilha para Machu Picchu

Caminhamos, simples assim. Esse trecho foi o que fizemos a Trilha Inca de 4 dias e que estamos contando aos poucos nos outros posts.

6 – Machu Picchu/Águas Caliente -> Cusco (Trem e van)

Esse trecho é mais comum né?! Os nossos custos estavam inclusos no nosso pacote da trilha. Mas resumindo, para descer de Machu Picchu para Águas Calientes (que é a cidade base do santuário) tem duas maneiras. Ou ônibus que custa 10 dólares ou a pé, existe uma trilha muito bonita até a cidade que demora mais ou menos uma hora.

Em Águas Calientes novamente um trem. Nosso trem era até Ollantaytambo custou 70 dólares e claro, o conforto não se compara ao Trem da Morte, o trem é luxuoso. Em Ollantaytambo tinha uma pessoa da agência esperando a gente e nos levou de van até Cusco.

Aguas Calientes
Aguas Calientes

7 – Cusco -> Puerto Maldonado – voltando pra casa (ônibus)

É gente, nossa volta foi uma odisseia e começa aqui. Nós estávamos meio perdidos com relação ao horário, então compramos o ticket do ônibus na nossa agencia mesmo (Qorianka Tour). Pagamos 50 Soles em cada (lembre-se estamos no Peru, a moeda mudou). O ônibus saiu às 20h e chegou por volta das 6h em Puerto Maldonado.

8 – Puerto Maldonado -> Iñapari / Assis Brasil (Van)

Em Puerto Maldonado tem que pegar um táxi para a praça das vans, custa uns 10 Soles. Nessa praça sempre tem vans saindo para Iñapari, que é a fronteira com o Brasil. A van custa 30Soles e a viagem leva mais ou menos 4h. Em Iñapari é só passar na aduana e registrar a saída. Por ali mesmo  já tem os taxistas do nosso Brasil brasileiro e tudo começa a encarecer.

Esperando a van para Iñapari
Esperando a van para Iñapari

 

9 – Assis Brasil -> Brasileia (Táxi)

A cidade do lado brasileiro é Assis Brasil – Acre e não  tem muita coisa. De lá é preciso pegar um táxi para Brasileia. Dá mais ou menos 1:30 e custa 35,00 se você fechar um carro com mais 3 passageiros.

10 – Brasileia -> Rio Branco -AC (Táxi)

Chegando em Brasileia é preciso pegar outro táxi para Rio Branco. A viagem dura mais ou menos 4h e custa 60,00 por pessoa. O esquema do táxi é o mesmo do anterior, precisa ser o carro cheio. Então se só tiver você para sair, vai precisar esperar mais 4 pessoas (aqui tem carros com 5 lugares) e finalmente você está em Rio Branco.

Tem um ônibus que sai para Rio Branco também, mas é meio tenso.

——-

Bom, vou considerar como o ponto final do roteiro porque em Rio Branco pegamos o voo para o Rio de Janeiro, que custou 300,00 R$ na época. Depois do RJ fomos para casa. Ufa..chega ao fim nossa aventura.

Esse foi nosso roteiro, realmente economizamos bastante e conhecemos muitos lugares que se fossemos direto à Cusco não conheceríamos. Apesar de cansativo, a experiência foi muito boa.

Espero que esse roteiro ajude vocês.

peru-fw

Sobre Juciara Nepomuceno

Juciara Nepomuceno
Engenheira de Computação por formação, especialista em Qualidade de Software por profissão e uma eterna exploradora por opção. Desde cedo um tanto nômade, mas há um tempinho em Floripa. Duas grandes paixões: viagens e botas de trilha! Prefiro conhecer lugares inusitados aos velhos pontos turísticos.

Veja também

O que fazer em Montserrat | Um bate-volta saindo de Barcelona

A capital catalã está no seu roteiro das próximas férias? Mas só Barcelona? Se sua …

21 Comentários

  1. Oi! Meu nome é Jair e escrevo desde Lima. Excelente artigo, muito interessante. Eu já fui desde minha cidade para Rio Branco duas vezes: a primeira dirigindo meu carro, e a segunda com um voo Lima – Puerto Maldonado + o ônibus do que você falou no artigo. Agora, eu tenho um problema + uma pergunta, e talvez você pode me ajudar com a resposta:

    Lamentavelmente esses ônibus já não existem mais desde há 2 semanas (não sei a razão). E ao final deste ano vou voltar para Rio Branco, levando uma bicicleta dobrável (folding bike). Quando a bicicleta é dobrada, fica do tamanho de uma cadeira de rodas fechada. Então, como agora minha única opção para viajar é pegando esses taxis/vans (desde Pto Maldonado até Rio Branco), você sabe se eles têm espaço para levar a bicicleta dobrada?

  2. Olá gente!
    Primeiramente parabenizo pelo trabalho que fiz em ajudar aos brasileiros que desejem conhecer Machu Picchu, quem escreve é um amante da cultura brasileira e graças a deus já teve a sorte de morar no Brasil por um bom tempo, agora voltei ao Peru – Cusco para mostrar a todos os brasileiros que desejem conhecer a terra dos incas.
    Se alguém deseja algumas dicas e recomendações pra a sua viagem, sera tudo um prazer ajuda-los em realizar o sonho de conhecer Machu Picchu Cusco, Lima, Lago titicaca, Arequipa, Nazca, Paracas, Puno, Trujillo e outros destinos que ainda não foram explorados pelo brasileiros.
    Visitem nosso site http://www.viagensmachupicchu.com.br/

  3. Quantos dias vocês levaram de Corumba até Rio Branco? Parabéns pela postagem.

  4. Olá! Meu nome é Weverton. Pretendo viajar para Machu Picchu e fazer +/- o mesmo caminho que vocês fizeram (BOL+PER), porém partindo de SP. Quando viajaram? Existe algum planilha de gastos por pessoa ou ao menos uma estimativa? E os nomes das companhias de ônibus e trem que viajaram? Ah! O ônibus que não existe mais é o que fez a linha Cuzco/Puerto Maldonado? Obrigado.

  5. Olá, Curti muito o post… parabéns!

    Se fosse dizer a alguem a quanto levar de dinheiro para o total , saindo de Corumba diria mais ou menos ..Quanto ?

    obrigada (=

  6. Super linda viagem! Pergunta, vcs tem o site do trem? Estou pesquisando para montar meu roteiro, queremos ir por terra, mas teremos apenas 9 dias no limite. Compensa?
    A trilha inca foi fácil de conseguir fazer, li em outro blog que é preciso agendar com antecedencia. O que vcs acharam?

    Fantástico! Parabéns!!!

    Abs

    Daniel Carnielli

    • DestinoAlgum

      Oi Daniel,

      Desculpe a demora para dar o retorno.
      O site do trem é este http://www.perurail.com . Pesquise qual o melhor trecho para vocês, Ollantaytambo fica há pouco tempo de cusco e tem um dos sítios arqueológicos do vale sagrado. De repente vale a pena pegar o trem de lá, por custo inclusive. O preço do trem é meio salgado, mas vale a paisagem vale a pena.
      A trilha não é difícil, mas pode ser bem cansativa por causa da altitude. E claro, não tem como esperar muito conforto, mas para quem gosta é o máximo. nós curtimos muito. A trilha Inca é bastante procurada e tem limite, por isso precisa ser reservada com antecedência, mas tem outra rota, a Salkantay que é linda tbm.

      Boa sorte no seu roteiro e dê uma olhadinha nos outros posts sobre a trilha. Demos algumas dicas legais.

      Abs

  7. Muito legal e me ajudou muito! Estou no panejamento…

  8. Algumas pessoas perguntam quando é melhor viajar a Machu Picchu?
    Machu Picchu fica numa região que recebe muitas chuvas no verão, e o período entre Janeiro e março não é aconselhável para sua viagem
    Porque as chuvas são intensas porem aconselhamos viajar nos meses secos.
    A alta temporada vai de maio a setembro, quando chove menos. Dentro desses meses, maio e agosto são os melhores para conhecer o legado inca, já que a probabilidade de precipitação é menor ainda. De dezembro a março chove com frequência, e, nos dias em que chove muito, o parque é fechado. Por isso é aconselhável viajar quando o tempo é mais seco mesmo.
    Ir com o tempo seco ainda evita o incômodo com pernilongos, que pode ser frequente na época de chuvas.
    A temperatura média anual da região está na casa dos 22ºC, e cai quase pela metade à noite, mas no inverno as temperaturas podem chegar a -0ºC.
    Desejo a todos uma ótima viagem!!
    http://www.viagensmachupicchu.com.br

  9. Amei seu post, super bem informado!
    Espero em breve fazer esta viagem.

  10. Gostaria de acrescentar algumas recomendações importantes para as pessoas que estão preparando sua viagem para Machu Picchu.
    – Quem vai a Machu Picchu não pode deixar de fazer as trilhas que levam até lá!
    – Quem quer ter uma bela vista panorâmica deve subir até Huayna Picchu.
    – Faça a pernoite em Aguas Calientes, pois você estará logo cedo em Machu Picchu desfrutando o amanhecer.
    – Compre os bilhetes com antecedência, porque as vezes, se vc quer comprar um hoje para amanha, não tem mais.
    Espero que ajude alguém.
    Boa Viagem

  11. Olá!

    bem legal hein!. Uma pergunta, quanto que vc gastou no total tirando suas comprar que é particular!

    Qual o total em reais para ir e voltar, transporte e comida. Gostaria de saber para ter uma ideia e me programar e não ter surpresas. Agradeco desde jah!

  12. Olá gente!
    Primeiramente parabéns pelo blog, sensacional suas dicas.
    Recomendo a todas pessoas que antes de viajar ao Peru, se informem sobre a cultura, clima, estações de turismo (Temporada alta e baixa), distancias e sobre os destinos turísticos que estão querendo visitar.
    Peru possui uma paisagem diversificada desde o nível do mar até os 6000 e 7000 metros de altitude.

  13. Olá pessoal!!
    primeiramente parabéns pelo blog, sensacional suas dicas.
    O Lago Titicaca é o lago navegável mais alto do mundo com seus 8300 km2, também é o segundo maior da América do Sul. Está localizado entre o altiplano peruano-boliviano à 3800 metros de altitude, com uma profundidade máxima estimada de 360 m. A temperatura varia entre 7°C e 11°C, dependendo da estação.
    peru somente não é machu picchu temos muitos outros puntos turísticos e gastronomia de qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *